Sopro

Acordei querendo sentir aquela euforia de que o mundo é meu, de que o ar que inspiro é repleto de poesia, diminutas partículas de vida que instigam meu cérebro, como cafeína.
Acordei querendo sentir que o momento é agora, que o presente é a maior dádiva que poderíamos ganhar, que o futuro é só uma partícula de poeira ao vento. Que essa partícula somos nós, dançando e sendo levados para onde for preciso, atravessando os quatro cantos de um mundo tão vasto, tão belo, tão plano.


Acordei com aquela sensação de que a vida é eterna e efêmeros somos nós, que pensamos demais. Acordei querendo sorrir, cantar, viver! Há tanto para ver, fazer, sentir!
Acontece que acordei tarde. Na verdade, sequer acordei. A vida passou como um sopro quente de verão. No mesmo instante em que estava, se foi.

E ainda havia tanto para ver... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Marcas Indeléveis - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png