Tamanho e documento

Se tamanho fosse documento, não existiriam pessoas com medo de barata. Simples assim. Não sou lá muito alta – não sou nada alta, diga-se de passagem – mas sou maior que uma barata e nem por isso deixo de sentir pavor por ela. Uma vez me disseram que elas têm mais medo de mim do que eu delas. Discordo. Tanto é que quando avisto uma, corro para o mais longe possível, já a barata não, quando me vê corre em minha direção ou começa a voar, para mostrar o quanto é evoluída. Quem dera pudesse eu sair voando pra bem longe dela.

Futebol

Era uma manhã ensolarada de domingo e eu estava num estádio pela primeira vez. No topo da arquibancada, pensando que talvez a vida seja um jogo de futebol. Se não no campo, na torcida, mas se realmente um gol pode mudar algo em nossas vidas, nós – ou eu, como torcedora – visto a camisa do time e faço o máximo que posso, nem que isso seja apenas gritar cada vez que a bola se aproxima do gol.Torcer no estádio é receber uma injeção de adrenalina e uma dose de emoção. Estar vivo também pede isso, pelo menos nos momentos que marcam, sejam bons ou ruins. A vida pede gritos, sorrisos, xingos e torcida. Torço por um time no campo. Torço pela felicidade na vida. E sucesso. E saúde. E paz e amor e o que vier mais.

Resenha - A Culpa é das Estrelas

Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Páginas: 288


Sinopse:Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante – o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos - o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.

Sonhadora

Eu sou a pessoa mais sonhadora que conheço. Na verdade, acho que a vida é algo muito grande para sermos apenas coadjuvantes da nossa própria história. Gosto de colocar meus sonhos no papel, pois assim eles ficam mais próximos de se tornarem metas, é o primeiro passo para se analisar o que deve ser feito rumo ao alcance do seu objetivo.
Se em alguns sonhos mantenho os pés colados ao chão, em outros, permito-me flutuar pelo espaço e arriscar-me em desejos não tão fáceis de serem alcançados. Mas uma coisa é certa: podemos tudo, ou quase, basta querer e, principalmente, se esforçar. Um sonho precisa ser planejado, batalhado, suado e persistido, ou diria perseguido. Não é fácil, mas o que nessa vida é? Desilusão faz parte da vida, desânimo também, só não podemos nos deixar abalar, afinal, sempre existe outro dia. E isso significa que, enquanto estivermos vivos, podemos lutar pelo que desejamos. Podemos fazer acontecer, afinal, há algo mais prazeroso do que realizarmos algo pelo qual batalhamos?

O medo

Todo mundo tem um medo.
Tem gente que tem medo de escuro, de barata ou de ladrão. Existe medo de palhaço, de bater o carro ou de ficar sozinho. Há quem teme se apaixonar, falar em público ou o futuro.
Eu tenho uma série deles. Medo das coisas não ocorrerem como o planejado, de tomar decisões, de não alcançar meus objetivos. Medo do desconhecido, do incerto, do duvidoso. Medo até de ter medo, afinal, tem coisa pior?

Nuvem negra

Como é difícil permanecer firme à luta, mantendo os pés no chão e o coração longe da boca.
Como é difícil manter a fé quando tudo parece conspirar contra você. Quando o universo parece não se importar mais. Quando as estrelas sequer parecem brilhar. Quanto custa acreditar que as coisas vão melhorar, que as oportunidades vão surgir e que essa nuvem escura vai se dissipar.

Minha vida na roda gigante

Há quem leve a vida na montanha-russa, com seus altos e baixos e tudo o mais. A minha está mais para roda gigante. Tem seus altos e baixos também, mas se move incrivelmente devagar. Não que eu goste de coisas realizadas na pressa, pelo contrário, sou adepta à filosofia de que a pressa é inimiga da perfeição. Afinal, as melhores decisões não são tomadas precipitadamente, nem os melhores trabalhos são realizados na correria. Mas que o mundo está cada vez mais rápido, está.
Quem nunca quis uma mudança para amanhã, ou até mesmo ontem? Quem nunca fez uma entrevista de emprego e quis ser chamado para o trabalho no outro dia, ou quem nunca começou uma dieta querendo resultados para o dia seguinte? Ou quis que uma encomenda pela internet chegasse no mesmo dia da compra, enfim, há infinitos exemplos. Mas acontece que nem sempre a vida acompanha a velocidade da montanha-russa. Algumas coisas levam tempo para acontecer, pois estão vindo lentamente, de roda gigante talvez. Assim como minha vida.

Inspiração

Inspiração. Ora vem de repente, ora me deixa esperando horas. Às vezes surge de um lugar inusitado, como quem não quer nada, e vai instigando aos poucos a imaginação até você não aguentar mais e precisar correr até o bloco de notas mais próximo e vomitar todas as palavras. 
Mas às vezes a inspiração não aparece. Dá chá de cadeira, toma chá de sumiço, não deixa um bilhete sequer para poupar a espera. Não telefona, não manda uma mensagem. E aí quando você está prestes a superar o fim do relacionamento, ela aparece na sua frente como se nunca tivesse ido embora, enche sua cabeça e te força a ficar horas atrás do bloco de notas. 

Se for carnaval

Carnaval só se for colorido de alegria, se tiver brilho, confete ou purpurina;

Carnaval só se for de paz, se tiver amor de amigo, namorado, irmão ou pai;

Carnaval só se for de graça, se tiver risos e companhia pra rir até ficar sem graça;

Carnaval só se for de dança, pra sentir o corpo ser levado pela música, seja axé ou zumba;

© Marcas Indeléveis - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png