Faces do amor

O amor é um sentimento mais complexo que os demais, devido sua abrangência e profundidade. Quando pensamos em alegria ou tristeza imediatamente nos remetemos a uma situação característica desses sentimentos. Já o amor não, pois o amor pode vir sozinho ou acompanhado – de alegria, medo ou até mesmo raiva. O amor pode ser por uma pessoa, um animal e, até mesmo, um objeto. Amar envolve um desejo indecifrável, um mistério cativante, uma vontade passageira, ou não.
O amor tem sua face generosa, quando é doado sem nada em troca, e sua face egoísta, quando é carregado por sentimento de posse. Em uma de suas faces há calma e sinceridade, em outra, há paixão, ciúmes e às vezes, possessão.

Mas o amor ainda é maior que os demais sentimentos, pois é envolto em uma atmosfera que não sabemos decifrar. Não sabemos como surge ou se um dia acaba. Creio que não, o amor não é um sentimento que se vai, como a alegria ou a tristeza. O amor é permanente, mesmo escondido - ou esquecido - seus vestígios nunca são, de fato, apagados. O amor, em sua melhor face, ultrapassa o tempo, excede a vida. Transcende a alma, o corpo, a nós mesmos. Se energiza e, por sorte, se eterniza: na mente, no toque ou na poesia.

2 comentários:

  1. De fato, o amor nunca está só. É acompanhado de dezenas de sensações, sendo elas sentimentos ou não.

    Amei o blog. Parabéns!

    http://inverso-mente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O amor é complexo por ser a causa de quase tudo e estar em quase todos. Pena que as pessoas os dispense com tanta facilidade.

    Adorei o texto.

    M&N | Desbrava(dores) de livros

    ResponderExcluir

© Marcas Indeléveis - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Andréa Bistafa.
http://i.imgur.com/wVdPkwY.png